Diminuir tamanho da fonte Aumentar tamanho da fonte

Ministro da Educação é um vexame para o Brasil, diz Pedro Kemp

Campo Grande, 26/02/2019

O deputado estadual Pedro Kemp (PT-MS) disse nesta terça-feira (26), que o ministro de Educação, Ricardo Vélez Rodriguez  ‘é um vexame para a pasta’.“Primeiro, chamou os brasileiros de ladrões. Agora, manda uma carta para as escolas pedindo que os alunos sejam filmados cantando o hino nacional e depois repitam o slogan da campanha do presidente Bolsonaro. Isto fere o artigo 37 da Constituição Federal, além de atentar contra a autonomia das escolas e dos sistemas de Educação dos Estados e Municípios”.

O deputado disse ainda que filmar os alunos só se pode com a autorização dos pais. “Já ouvi professores dizendo que ao invés dos alunos cantando, iam filmar o estado caótico da maioria das escolas e mandar para o ministro tomar providência”.

 

Foram enviadas às escolas públicas e particulares de todo o Brasil uma carta assinada pelo ministro da Educação para ser lida aos professores, alunos e demais funcionários no primeiro dia de volta às aulas, determinando que perfilassem os alunos para cantar o Hino Nacional, ao final proferissem a frase utilizada como slogan de campanha presidencial ‘Brasil acima de tudo. Deus acima de todos’. Pede também para que a direção do estabelecimento de ensino filmasse os estudantes e enviasse o arquivo para a Secretaria de Comunicação da Presidência e para o MEC.

 

Pedro Kemp disse que é uma falta de propósito, falta do que fazer desse ministro. Ao invés de se preocupar com os graves problemas da Educação brasileira, com o desempenho dos alunos, com a qualidade do ensino, com os indicadores do IDEB, o ministro quer fazer a cabeça dos alunos com o slogan de campanha do presidente, adotando uma postura autoritária e ilegal.

“Nós estamos aqui precisando elevar os índices da Educação no Brasil. E o ministro daqui a pouco vai querer obrigar os alunos a saldar o presidente: Heil Bolsonaro! (Uma alusão à saudação nazista ‘Heil Hitler’ – Salve Hitler!)”, finalizou Pedro Kemp.

Compartilhe: