Diminuir tamanho da fonte Aumentar tamanho da fonte

Pedro Kemp cobra fiscalização em indústrias de MS e proteção aos operários

Campo Grande, 18/04/2017

“Precisamos de uma força-tarefa em caráter preventivo em todos os frigoríficos do Estado. Esse acidente hospitalizou cerca de 30 trabalhadores e a JBS continuou os trabalhos normalmente, em vez de dispensar os funcionários imediatamente, aí mais 10 passaram mal. É uma atitude preocupante”. (Pedro Kemp sobre o acidente que aconteceu no dia 6 de abril no JBS, em Campo Grande)

Autor da lei estadual que prevê corte de incentivos às indústrias que desrespeitarem as normas trabalhistas, o deputado estadual Pedro Kemp (PT) mais uma vez subiu à tribuna e cobrou fiscalização.

Hoje (18), o parlamentar apresentou uma indicação para pedir ação do Ministério Público do Trabalho, responsável também pelas vistorias nas condições de trabalho nos frigoríficos de Mato Grosso do Sul. No dia 6 de abril, por volta das 13h, aconteceu outro acidente, um vazamento do gás amônia nas dependências do frigorífico JBS, na BR-060, saída para Sidrolândia, na Capital. Ao menos 30 pessoas ficaram feridas e após o acidente, funcionários continuaram o trabalho e passaram mal no dia seguinte.

O sindicato dos trabalhadores do setor já fez outras denúncias sobre a falta de manutenção de maquinário, caldeiras. Os representantes dos operários afirmam que os trabalhadores dos frigoríficos correm permanente risco de vida. “Sabemos da importância dessas empresas na geração de emprego, em que há cidades que são impactadas com o fechamento desses locais, mas o que pedimos são condições dignas, decentes, adequadas e seguras de trabalho”.

“Apelamos por uma fiscalização permanente”, disse o deputado Pedro Kemp.

Além do episódio recente, o Frigorífico Mafrig em Bataguassu registrou vazamento de amônia em fevereiro deste ano deixando 20 funcionários feridos. Kemp já havia denunciado a preocupação com as condições de trabalho do setor em 2012, quando outro acidente com vazamento de gás tóxico no curtume do mesmo grupo levou à morte de 4 pessoas e outros 25 trabalhadores ficaram feridos. Na época ele foi o autor da lei que prevê às empresas que desrespeitarem a legislação trabalhista, a exclusão do Programa MS Empreendedor. A medida foi proposta em 2012 após a explosão no curtume do Frigorífico Marfrig, em Bataguassu, a 335 quilômetros de Campo Grande, que deixou quatro mortos e cerca de 50 funcionários intoxicados naquele ano

Entenda mais sobre o assunto:

http://pedrokemp.com.br/…/sancionada-lei-c…/4553/28/08/2012/

 

Compartilhe: